• Rodrigo Bernardes

Cross Docking ou Dropshipping: o que são e qual escolher?

Atualizado: Ago 25

Vender produtos online sem precisar manter um estoque tornou-se uma realidade dentro do comércio eletrônico e, neste cenário, surgem dois protagonistas: cross docking e dropshipping.


Cross docking e dropshipping são dois processos logísticos desenvolvidos por donos de e-commerce que não desejam manter e gerenciar estoques.


Ambos oferecem mais flexibilidade para o lojista que pode mudar a mercadoria que está sendo vendida, bem como oferecer uma ampla variedade de produtos aos seus clientes, sem precisar investir ou ter custos com o estoque dessas mercadorias.


Em ambos os casos, o produto vendido dentro da sua loja virtual é mantido dentro do estoque do seu fornecedor. Além disso, o pagamento que você faz ao fornecedor é sob demanda, ou seja, você só faz a compra de um produto, após um cliente fazer uma compra com você.


Dessa forma, a triste realidade de estoque parado é dinheiro parado não existe para empreendedores que optam por cross docking ou dropshipping.


Mas, qual é a diferença entre esses dois modelos de negócio? Qual é melhor?


Para responder a essa pergunta é importante, antes de qualquer coisa, entender o que é cada um desses conceitos, mais detalhadamente.


O que é dropshipping?


Muito se fala sobre a relação entre dropshipping e e-commerce, entretanto, na prática, o dropshipping é apenas um método de logística, dentro do negócio de e-commerce.

Leia também: Vantagens e desvantagens de e-commerce e dropshipping: tudo para te ajudar a fazer sua escolha!

Nesse método, o produto é estocado pelo fornecedor de dropshipping e fica nesse estoque até que um consumidor faça uma compra no site do vendedor. Quando isso acontece, esse vendedor avisa ao fornecedor, que separa o produto, embala e envia diretamente para a casa do consumidor final. Ou seja, para o endereçado entrega do cliente que fez uma compra dentro do seu e-commerce.

Logo, para o dono do e-commerce não há nenhum custo com o produto em si, ou melhor, nenhum custo associado a:

  • estoque,

  • armazenamento,

  • envio,

  • equipe para separar o item,

  • empacotamento, e mais.

Tudo isso é feito pelo fornecedor de dropshipping e o lucro que o lojista tem é a diferença entre o valor pago pelo consumidor e o valor pago ao fornecedor.

Por exemplo, se você vende um produto a R$40 e seu fornecedor cobra pelo produto R$15, seu lucro é de R$25. Esse é o valor que você recebe no intermédio da venda.

É claro que o cálculo da margem de lucro para dropshipping é muito mais complexo, porque, mesmo não havendo custos com estoque de produtos, há o custo para manter uma loja virtual funcionando, bem como para atrair clientes.

Tudo isso deve entrar no seu cálculo de margem de lucro em dropshipping e para te ajudar a fazer essa matemática, indicamos que assista ao vídeo abaixo.



Mas, de fato, o lojista não tem custos associados à logística de armazenamento e entrega do produto. Nem é necessário fazer a compra de um estoque inteiro e depois vendê-lo aos clientes. Tudo isso é feito sob demanda, reduzindo os riscos associados à compra de um estoque, para uma loja virtual.

Se ainda ficou alguma dúvida sobre o que é dropshipping, indicamos que assista ao vídeo abaixo, onde explico tudo sobre esse modelo de vendas.


O que é cross docking?

O modelo de cross docking é muito similar ao dropshipping. Nele o vendedor, ou dono da loja virtual, também não armazena o estoque de produtos. Quando um produto é vendido ele também avisa ao fornecedor, que por sua vez envia o produto.

Entretanto, ao invés de enviar diretamente para o cliente final, o fornecedor envia para um centro de distribuição, contratado pelo vendedor, dono do e-commerce, que vendeu para o cliente.

Nesse centro de distribuição, o pedido é separado, empacotado e enviado para o endereço de destino, ou seja, para o endereço do cliente que fez a compra. O produto, entretanto, não fica mais do que 24 horas dentro do armazém.

Em casos de lojistas pequenos, que fazem ainda poucos volumes de vendas, esse centro de distribuição para onde o fornecedor vai mandar o produto, pode ser a própria sede do e-commerce ou o local em que você trabalha, como um escritório ou galpão.

Quando a operação começa a crescer, o ideal é terceirizar o centro de distribuição, para que você tenha uma gestão mais inteligente dos produtos.

Entretanto, esse centro de distribuição é um custo extra que o lojista tem, em relação ao modelo dropshipping.

Cross docking ou dropshipping: qual é o melhor?

Ambos os modelos mostram ser muito efetivos para testar produtos de sucesso, avaliar se o mercado realmente está disposto a comprar o item e também para permitir a entrada de empreendedores virtuais que não querem ou não podem montar um estoque de produtos para vender.

Um ponto positivo para o cross docking é o maior controle que o lojista tem sobre o produto, uma vez que ele recebe o item, pode conferir suas condições, embalá-lo e enviá-lo para o consumidor.

É bastante comum dentro do modelo de dropshipping nacional, onde muitos fornecedores não enviam o produto diretamente para o cliente final.

Além disso, o cross docking oferece um controle maior, não apenas sobre a qualidade do item, mas também no prazo de entrega.

Já o dropshipping permite uma lucratividade maior e uma redução de custos se comparado ao cross docking. O que pode ser a vantagem que determina a escolha de muitos empreendedores.

No dropshipping é especialmente valioso escolher bem seus fornecedores para ter a segurança de envio dentro do prazo e qualidade dos itens comercializados.

Para aprender como fazer essa seleção, assista ao vídeo abaixo e aproveite todos os benefícios desse modelo.


Entendido o que é cross docking e dropshipping é hora de fazer sua escolha e aproveitar os benefícios de um modelo de negócios eficiente,


Além da seleção do modelo de produtos e da escolha da logística da sua loja, é indispensável investir em ferramentas que permitam que você faça mais vendas em maiores volumes. Afinal, foi por isso que você iniciou seu negócio, não foi?


Para aumentar as taxas de conversão da sua loja e contribuir para que você faça mais e melhores vendas, conheça os aplicativos Boleto Recovery , Parcelamento - Installments e ShopLinks.

O Boleto Recovery possui uma série de funcionalidades que vão contribuir para o aumento da taxa de conversão de boletos pagos. Com ele você pode criar e automatizar o envio de mensagens para seus clientes, seja por e-mail ou SMS, que vão ajudar a recuperar boletos, aumentando suas chances de ter um boleto pago e concluir uma venda.



O app Parcelamento Installments apresenta o valor completo e o valor de cada parcela de um produto, em compras que optem por esse meio de pagamento, em todas as páginas de produtos da sua loja. Esse recurso torna seus produtos mais acessíveis, aumentando o ticket médio das vendas e ainda estimula as vendas no cartão de crédito.



Já o app ShopLinks ajuda sua loja a encontrar influenciadores e afiliados alinhados ao seu negócio, estabelecer uma parceria, além de permitir que você gere links e cupons para vender com influenciadores e facilitar o acompanhamento de métricas de cada influenciador da sua base.



Ficou interessado? Faça seu teste gratuito e boas vendas!


10 visualizações0 comentário