• Rodrigo Bernardes

Pensando em abrir um e-commerce no Brasil? Veja como funciona essa modalidade de vendas

Poder vender produtos sem sair de casa ou mesmo ter uma loja física para administrar vem atraindo muitos empreendedores, mas você sabe como é ter um e-commerce no Brasil na prática? Veja este artigo até o final para conhecer mais sobre esse universo.


E-commerce no Brasil: o que apontam os números?

O ramo de vendas online é um mercado relativamente novo, mas que já tem seus 20 anos e, há pelo menos uma década, de forma consolidada e popularizada. No entanto, o e-commerce no Brasil e no mundo de um modo geral deu salto de 2020 para cá.


Por conta da pandemia de Covid-19 as pessoas tiveram que ficar em casa e os estabelecimentos físicos ficaram fechados ou com muitas restrições, com isso, as compras virtuais foram se tornando cada vez mais algo corriqueiro.


Se antes a maior parte das vendas virtuais eram do mercado de eletrônicos, celulares, games, eletrodomésticos e afins, hoje em dia quase todo tipo de compra já tem seu espaço, desde algo para o café da manhã até a compra do mês no supermercado.


Para se ter uma ideia, só no primeiro trimestre de 2021, o e-commerce no Brasil atingiu a marca de R$53 bilhões em vendas, o que representa um crescimento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a pesquisa da Ebit/Nielsen.


A mesma pesquisa aponta que esse crescimento se deu principalmente por dois fatores:


  • o ticket médio que cresceu em 22%,

  • o número total de pedidos que aumentou em 7%.

Ou seja, as pessoas estão dispostas a pagar mais pela comodidade e vêm fazendo cada vez mais pedidos.


Trabalhar com e-commerce x estabelecimento físico

Uma das discussões que vem à reboque ao crescimento do e-commerce no Brasil, é sobre a relevância do comércio tradicional em estabelecimento físico frente ao grande crescimento das vendas virtuais.


Muitos questionam se ainda vale a pena manter uma loja aberta, pagando aluguel, despesas de manutenção, funcionários e etc. quando o mercado virtual vem nessa crescente.


Por isso, trouxemos alguns prós e contras de cada um para que você avalie se, no seu caso, é mais vantajoso apostar apenas no e-commerce, apenas na loja física ou se é melhor manter os dois.


Loja física

Vantagens

  • Atendimento que influencia na compra: diferentemente do e-commerce, na loja existe um atendente, quando o atendimento é bem feito as chances de compra são maiores, isso porque o cliente terá informações na hora e direto de uma fonte confiável. Entretanto, é importante lembrar que também existem opções de uso do atendimento no e-commerce para melhorar as conversões.

  • Produto na mão do cliente: outro ponto positivo é que o cliente já sai com o produto em mão, essa praticidade, além de economizar custo com frete, aproxima o cliente do produto o que favorece a compra.

  • Maior credibilidade: quando o cliente faz uma compra em loja física, ele sabe exatamente o que estará levando e sabe onde recorrer em caso de problemas, isso também impulsiona as chances de conversão.


Desvantagens

  • Despesas de manutenção: manter um negócio físico é algo caro, são despesas como aluguel, contas de luz, salário de funcionários, impostos e etc. Além disso, existem burocracias a serem seguidas que exigem um trabalho maior;

  • Mercado com limites físicos: se você possui apenas uma loja, seu mercado fica restrito a onde ela está localizada, seja uma cidade, um bairro ou uma rua. Sem falar na concorrência que pode estar ao lado.


Leia mais em: Vantagens e desvantagens de e-commerce e dropshipping: tudo para te ajudar a fazer sua escolha!


E-commerce

Vantagens

  • Expansão do negócio: ao criar uma loja virtual com um bom serviço de frete você pode atingir outras praças e vender mais para outras regiões do país, expandindo o mercado.

  • Menor custo: no geral, as despesas do e-commerce vão ser bem menores, afinal, muitos custos com infra-estrutura e equipe, não precisarão ser tão altos. Principalmente, quando você opta por modelos de negócios como o dropshipping.

  • Comodidade e praticidade: ter um e-commerce no Brasil hoje significa que sua loja estará aberta 24h por dia, 7 dias por semana. Com isso o cliente compra quando quiser, sem sair de casa e pelo dispositivo que achar melhor.


Desvantagens

  • Menor laço entre o cliente e a marca: como o cliente só vê o produto após concluir a compra, basta uma experiência negativa para que sua marca seja preterida, portanto é um terreno fértil, porém muito delicado.

  • Tipo do público pode limitar: se seu produto for direcionado a um público pouco afeito a tecnologia ou sem acesso a internet, ter um negócio virtual não será uma boa ideia.


Quais as modalidades dentro do e-commerce

Agora que você já entendeu melhor como opera um e-commerce e quais as vantagens e desvantagens de se trabalhar com esse tipo de negócio, vamos conhecer um pouco das principais formas e modalidades desse mercado.

E-commerce tradicional

O mais conhecido pela maioria das pessoas, o e-commerce tradicional é um site onde um lojista, que possui produtos em estoque (sejam de fabricação própria ou revenda) coloca os mesmos no site e após ter a compra efetuada, separa e envia para o cliente.

Dropshipping

A loja dropshipping é uma forma de trabalhar com e-commerce sem ter um estoque. Funciona assim: o lojista cria um site de vendas normal, anuncia produtos de fornecedores que têm estoque e coloca uma margem de lucro em cima.


Para exemplificar, você cria um site para vender tênis via dropshipping, vai até um fornecedor que vende um calçado por R$50, anuncia o mesmo produto a R$75 e sempre que alguém comprá-lo você ganha a margem de R$25 e quem faz a entrega é o seu fornecedor.


Saiba mais: Como encontrar fornecedores dropshipping CONFIÁVEIS? [Guia]


No vídeo abaixo você conhece mais sobre as vantagens e desvantagens de e-commerce tradicional e dropshipping.





Marketplace

Por fim, o marketplace é uma modalidade que busca utilizar grandes e-commerces como vitrine para vender seus produtos.


Sites como Americanas, Shoptime e Submarino, por exemplo, “alugam” um espaço dentro do seu site para que você venda seus produtos.


No geral, esses sites irão cobrar uma porcentagem em cima do valor do seu produto vendido, como contrapartida, você só paga em caso de venda e aproveita a exposição oferecida por um site que possui muitas visitas.


Saiba mais: Como fazer Marketplace na Amazon


E aí conseguiu entender melhor sobre como é ter um e-commerce no Brasil?


Iniciar um negócio online não é tão fácil quanto algumas pessoas pensam e se você já está a algum tempo pesquisando sobre o tema, sabe do que estamos falando.


Entretanto, existem algumas ferramentas e aplicativos que podem tornar mais fácil o seu trabalho, entre elas:


  • Boleto Recovery, te ajuda a recuperar boletos que não foram pagos pelos clientes, otimizando seu tempo e ampliando a taxa de vendas

  • Parcelamento - Installments, ajuda a gerar confiança no cliente, que sabe qual o valor das parcelas e o total do pedido, tornando o produto mais acessível (uma vez que pode ser parcelado) e aumentando o ticket médio dos clientes.

  • Shoplinks, é uma plataforma que te ajuda a encontrar influenciadores digitais e afiliados que podem se tornar seus aliados na busca por alcance e vendas.

Ficou interessado? Conheça mais sobre as nossas soluções. Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários. Boas vendas!




1 visualização0 comentário